às
Altinópolis, Segunda-Feira, 18 de Junho de 2018
Maria Padilha relata preconceito por namorado mais novo:

22 de Maio de 2018

“Estou adorando essa nova onda porque eu estranhava o mundo”. A onda mencionada por Maria Padilha é a do feminismo, que ela já surfa desde os anos 80, quando estreou, aos 19 anos, em "Água Viva". Na novela de Gilberto Braga e Manoel Carlos, ela viveu Beth, uma jovem impetuosa que fez um inédito topless (insinuado) no horário nobre. Na época, a atriz diz ter sofrido bullying nas ruas pela ousadia. Aos 58 anos e longe das novelas desde "A Regra do Jogo"  (2014), a atriz se acostumou a lidar  com os questionamentos por suas atitudes. Foi assim também quando resolveu se tornar mãe de Manoel, o filho de 6 anos, ao adotá-lo em uma fase mais madura da vida e também quando assumiu o namoro com o companheiro Brenno Souza, 25 anos mais novo.



“A mulher é sempre colocada assim: ‘Fulana está com um garotão...’ É depreciar não só a mulher como o namorado também. Está tudo num pacote de preconceito. As pessoas ficam querendo casais como se fosse uma novela, mas a vida não é assim. Nem sempre a gente se encanta pela pessoa que vai ficar bem na foto. E a vida nem sempre é fotogênica”, diz ela, que no momento se prepara para voltar aos palcos, com uma peça ainda sem título definido. Achava estranho porque a diferença é muito grande. Achava que não fosse durar e já vai fazer quatro anos. A vida é muito surpreendente”, pontua.



A atriz, que vive com Brenno e o filho na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio de Janeiro, diz que não pensa em oficializar a união, embora já tenha sido casada. “Sou de uma família em que minha avó foi a primeira mulher diretora de escola do Brasil”. “Minha família já era feminista na prática, sem segurar bandeira. Meu pai era zero machista. Estou totalmente dentro dessa onda do feminismo”, afirma.



Contato: 16 3665.2000
Rua Rio Grande do Sul, 45 - Jardim Xavante - Altinópolis/SP
Todos os direitos reservados